Quase 10

Faz hoje 9 anos que iniciei esta aventura de ter um blog. 
Apesar dos avanços e recuos, não queria deixar passar a data em branco. Tenho recebido muitas mensagens de carinho, amigas/os, seguidoras/es que querem saber de mim ou que continuam curiosas/os por saber o que anda nas minhas agulhas. 
A todas/os agradeço as atenções, os carinhos, as lembranças, a amizade... bem-haja! 
Retribuo os mimos com um breve desfile das pecinhas de tricô que alumiam e aquecem os meus dias.

Começo com o casaco Elah - tricotado com fio Monchique, Rosários 4, com agulhas de 4,5 mm, embora a marca sugira agulhas de 6-7 mm. Foi uma novidade e uma agradável surpresa tecer com este fio: super leve, macio, quente e muito rentável (só gastei 6 novelos de 50 g). Optei pelo tamanho S porque me sinto mais confortável com peças justas. Tenho frio se forem muito largas.

Renovações

Depois do último post, já tricotei mais meia dúzia de camisolas de inverno e um colete de verão. Falarei deles, a seu tempo...
O tricô passou a ser a minha terapia preferida e como tal, todas as noites faço umas voltinhas. Por este andar, e não tarda nada, não tenho mais armário para tanta peça! Que fazer então à vontade de criar? Tentar vender... o que me sugerem? Virtualmente, onde?

Se penso no tricô, também penso em quase tudo o resto que me apetece fazer: bolsas, sacos, peças de cozinha, fronhas... Tudo e tanto que já fiz e que continuo com vontade de fazer. Estará na hora de pôr à disposição de quem não se importava de pagar um valor por uma peça manual, com um cariz decorativo mas ao mesmo tempo utilitário e prático? Haveria interessados? 

Pensamentos, delírios à parte, hoje trago-vos um par de fronhas com um bordado antigo. As primeiras fronhas que fiz (em 2014, creio) romperam-se, mas o bordado continuava como novo. Com paciência e cuidado consegui remover o bordado intacto que apliquei na confeção de novas fronhas. Adoro estes aproveitamentos e gostei muito da combinação a remeter para o Natal!


Riscas em modo caseiro

Porque o tempo está instável e a vontade de mostrar obra feita se instalou, é mesmo dentro de casa que fotografo duas camisolas tricotadas.

A Tshirt Ary, projeto elaborado pela Marta (Pelo d'Arame) e pelo André (Loft das Mantas), encantou-me assim que a vi, embora não me tenha agradado a ideia de comprar 700 g do fio recomendado, 100 g de cada cor. Sabendo de antemão que me iria sobrar pelo menos metade dos novelos, optei por usar um algodão mais grosso, o For Nature, Rosários 4, e com menos de 350 g fiz a festa. Claro que tive de adaptar a receita, do tamanho S devo ter conseguido um XS, caso contrário teria um "pancho" em vez de uma camisola.

Da primavera...

 ... trago duas camisolas que usei muito, principalmente nos dias soalheiros, ventosos e ainda frescos, quando já não nos apetece andar de casaco atrás.

Jupiter Crop foi tricotada com lã Tec da Rosários 4, para aproveitamento de fios. A receita foi-me oferecida na altura em que saiu o modelo e fiquei cheia de vontade (para não variar) de lhe pegar. Como tinha outros trabalhos em mãos, ficou em lista de espera (cada vez maior)
Não gosto de acumular demasiados fios e muito menos me agradam os restos (só estou bem quando dou conta deles). Foi por isso com agrado que percebi que, se comprasse duas cores - azul e tijolo - para juntar às sobras da camisola "Feel the Bern" - cru, castanho escuro e bege - teria lã suficiente para elaborar o projeto com uma combinação simpática, bem ao meu gosto. Assim foi!

Atualização - costuras

Não desisti do blog, apesar do ar abandonado. 
Meto-me numa "carga de trabalhos artesanais" que a juntar ao trabalho profissional deixam-me com pouca paciência para fotografar e partilhar. 
Se é certo que não tenho outra "rede social", também é certo que em mais lado nenhum publico as minhas peças. Hesito entre continuar a publicar ou continuar no anonimato que me agrada pela tranquilidade que me traz. 
Para aquelas que me contactaram a saber de mim, estou bem, estamos bem, obrigada queridas!
Hoje apetece-me partilhar, mostrar alguma coisa do que tem ocupado as minhas horas livres. E quem sabe ganhar ânimo para continuar nesta assídua (deveria ser) partilha.

Costurei mais um par de almofadas com bordados que esperavam por digna aplicação. Apesar de atualmente bordar muito menos, é arte que não quero abandonar. Quando algum desenho me desperta a vontade, aproveito o momento. Mais cedo ou mais tarde vai embelezar e tornar única aquela peça...

Dom Pancho II e companhia

Apesar da conjuntura mundial não ser animadora - não me é indiferente o que se está a passar -  de lamentar e de sentir tristeza, obrigo-me a atualizar este cantinho na tentativa de abrir o sorriso aos meus dias. 
Ainda não deixei de tricotar, embora tenha algumas costuras em projeto, são as peças de tricô as atuais meninas dos meus olhos.
O D. Pancho II vem no seguimento do D. Pancho I que tricotei há anos e que mostrei aqui.
A receita e as lãs são as mesmas, só alterei as cores e o tamanho. Desta vez fiz um "pancho" maior para cobrir todo o tronco.