quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Aproveitar

Para aproveitar tiras de tecido que já não cabiam na caixa dos retalhos, decidi fazer uma fronha (outra?):). O tecido principal não era um retalho, mas esperava uma aplicação digna da delicadeza do padrão. A barra lateral deu-lhe a graça que desejava para este tipo de peça. 
Como esta brincadeira de juntar, aproveitar e combinar retalhos vicia (e de que maneira!), fiz um estojo clássico para os lápis.
Ofereci-os à mãe e ao filho de uma amiga. Presenteei e surpreendi avó e neto que ficaram muito felizes com a oferta. :)










sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Para a Nina...

Gosto muito de surpreender, mas afinal, quem acabou de ser surpreendida fui eu. Estou sem palavras. :):):)








terça-feira, 16 de agosto de 2016

Diabretes #2

Demorei um pouco até encontrar o tecido adequado. Só compro quando tenho a certeza de que é o tal... :)
Entusiasmei-me na combinação: flocos de neve com corações e estrelas a completarem a tira do bordado. Vermelho, a cor dominante!

Serão presentes de Natal, parece cedo, mas para mim, está mais que na hora. :)








Gostei tanto de bordar e de enfronhar este trio*  de diabretes!

* Dois "vermelhos" e um "amarelo" (o do post anterior).

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Diabretes #1

O que é que se pode oferecer a uma menina que gosta tanto de neve como gosta de amarelo?

Um diabrete! :)

Esta semana trato dos outros dois que me faltam... :)







terça-feira, 2 de agosto de 2016

Bolsinha de verão

Já temos a bolsa, falta a corzinha! :)



terça-feira, 26 de julho de 2016

Mais fronhas!

Para as minhas sobrinhas de 6 e de 7 anos. :)
Já lhes tinha feito umas - aqui - obviamente insuficientes, por isso, com os bordados mostrados há meia dúzia de posts, fiz outras. As cachopas adoraram - são sensíveis a este tipo de arte - e avisaram os pais que a partir de hoje (de sábado, mais propriamente) só iriam dormir nas fronhas da tia Lete. 

PS: Prevejo que vou ter muito que "fronhar"... :)








sábado, 16 de julho de 2016

Quinze dias!

Foi o tempo (livre) que demorei a fazer este "tapete" (não sei bem que nome dar-lhe, porque não é um caminho de mesa, nem é uma toalha).  
A vontade surgiu depois de verificar que, se tinha conseguido fazer uma capa de edredom (do post anterior), também era capaz de fazer uma proteção para a minha mesa de trabalho. 
Tinha a pretensão de gastar todos os retalhos em blocos de nine patch para cobrir o espaço, mas achei que o "tapete" iria parecer uma manta. 
Decidi, então, completar/emoldurar um tecido neutro com os blocos. Ainda bem, se não por este andar tinha trabalho para mais de um mês... :)
Forrei com guata termocolante para estruturar e afofar o "tapete" e fiz costuras retas na junção dos blocos para fixar melhor a guata e dar graça ao conjunto. 
Por trás, utilizei um tecido de algodão que me ofereceram, velhinho, mas de muito boa qualidade. :) 
Não ficou um trabalho perfeito, mas, para o primeiro do género, dou-me por feliz. E muito satisfeita com a funcionalidade e com o conforto que o "tapete" me oferece.

Convido-vos, assim, a dar uma espreitadela ao meu cantinho das artes! 




sábado, 2 de julho de 2016

Capas

Quando a minha cunhada me pediu que fizesse uma capa para o edredom e para o protetor lateral da cama do meu sobrinho - o bebé mais novo da família - estava longe de imaginar o que me esperava.
Pensei que era um trabalho relativamente pequeno.
Quando me apercebi das dimensões, já me tinha comprometido... sendo que quis levar a tarefa até ao fim.
Tarefa embaraçosa, pelo tamanho de uma das capas que é quase quadrada, com cerca de 145 cm de lado - não disponho de espaço para trabalhar, à vontade, peças com esta dimensão - e que me causou alguma angústia ao verificar que os 4 metros de tecido que tinha comprado, afinal não chegavam para tudo.
Tive de adaptar um terceiro tecido - branco, de pintas pretas - para a parte de trás das peças. :(
Passados que foram os momentos de canseira e de desânimo inicial (confesso) e vendo o trabalho feito, não posso deixar de sentir uma grande satisfação/alegria. Não tanto pelo trabalho em si, acho que está lindo, delicado, mas não apresenta nada de novo, são simples cortes e costuras retas, mas pelo facto de o ter conseguido e pela ideia que me deu e que talvez venha a pôr em prática: fazer uma proteção com retalhos para a minha mesa. Preciso de coragem para os 15300 cm2, no mínimo... :)

Voltando às capas, deixo-vos as fotos que esperam com curiosidade a opinião dos papás do Daniel.