sábado, 28 de março de 2015

Agora sim!

Em vez de um, fiz dois sacos do pão: um para a minha irmã, outro para a minha mãe.
Espero que desta vez, não tenha pena de o usar (refiro-me à mana, claro).
Pressinto que difícil vai ser a escolha, mas... que se entendam! :)



quarta-feira, 25 de março de 2015

Rolinho colorido

A mãe encomendou um rolinho para a filha (em idade pré escolar). 
Quando encontrei este tecido, soube logo que era perfeito, dada a pessoa em questão. 
Não descansei enquanto não lhe pus as mãos e nesse encantamento, achei que um porta moedas também combinava lindamente com a mãe.
Assim, em duas penadas, satisfiz mãe e filha que, a fixar-me nos olhinhos cintilantes, revelaram a enorme gratidão que sentiam.
Que bom! :)



sábado, 21 de março de 2015

Avental

Está pronto o prometido, ou, devo dizer, o desejado? :)
Forrei-o na parte de dentro para ficar encorpado e com um acabamento mais perfeito. O bolso ficou ao lado, diferente do habitual... gostei! 
Um simples bordado, num tecido axadrezado com um cheirinho a pintas, resultou nesta peça única, modesta sim, mas bem ao meu gosto e à minha medida.
Por isso, mal saiu da máquina de costura, entrou logo ao serviço (hoje)!





terça-feira, 17 de março de 2015

O que é barato...

... sai caro! Mas, nem sempre... 
Pois não, há que saber escolher e gastar tempo a procurar. 
Quando terminei o bordado "Home of a needleworker", tinha eu acabado de comprar a máquina de costura, a primeira ideia que me ocorreu foi fazer um avental (gosto e uso sempre, na cozinha).
Comprei o tecido mais barato que encontrei (tipo pano cru) e o avental nasceu!

Bordado: Home of a needleworker - LHN


Teve o seu tempo de glória, até ao momento da primeira lavagem (esclareço que tinha lavado o tecido, antes de o costurar). Para grande surpresa desgosto, o tecido encurtou, deformou, encolheu tanto, tanto que o bordado ficou enorme e engelhado no meio daquele minúsculo trapo. :(

Refeita do susto e não me dando por vencida, descosi-o com mil cuidados, passei-o a ferro e não tive outro remédio senão procurar um tecido à altura e fazer outro avental! 


Já lá vão uns três anos, talvez  (sou péssima a fixar estas datas) e o avental tem sido usado, lavado, passado, mas não desbotou, não encolheu, não descoseu... 
Isto para vos dizer que, às vezes, vale mais investir um pouco mais, não só em dinheiro, mas também em tempo na procura por aquilo que realmente queremos, do que nos deixarmos seduzir pela primeira oferta que nos aparece (digo, preço mais baixo). Principalmente quando queremos aplicar um bordado que, já de si, foi um grande investimento (em tempo, em linhas, em tecido, em requinte - se for com avesso perfeito e para mim tem de ser).

Desta vez, não me precipitei, procurei, escolhi com tempo e...
tenho o bordado pronto, o tecido cortado e daqui vai nascer outro avental!
Já não era sem tempo... :)

Bordado: A pumpkin full of autum fun - Bent Creek

quinta-feira, 12 de março de 2015

Ei-las!

Afinal os  tecidinhos do estendal transformaram-se, "por artes mágicas," em quatro lindas almofadas! 
Deram um pouco mais de trabalho, porque forrei-as com guata termocolante, para ficarem encorpadas e coloquei fecho na parte inferior, para facilitar o enchimento e o despejamento (existe?) na hora de lavar (se/quando for preciso).
A grega veio acrescentar cor e vida ao modesto bordado, parece-me que tornou o trabalho mais requintado e mais delicado, o que, pressinto, agradará ainda mais a presenteada.

Como só tenho recheio para uma (sábado comprarei o que falta), tive de mudar o enchimento de almofada para almofada, para vo-las mostrar como deve ser: pançudinhas! :)









Bordados: Signs of summer, signs of autumn, signs of spring, signs of winter - Bent Creek 

sexta-feira, 6 de março de 2015

Meias de trança

Nunca tenho apenas um trabalho em mãos, sendo que vou alternando conforme o tempo disponível e a disposição. Assim entre costuras e bordados, saíram as últimas meias da temporada, em jeito de despedida do inverno. 
Resolvi fazer uma trança do lado de fora da perna... gostei tanto!

São para o meu sobrinho que calça 40, eu 37, ficam-me enormes... não reparem! :)



quarta-feira, 4 de março de 2015

Cuidar dos tecidos

No sábado passado, comprei quatro tecidos, de cores e padrões diferentes.
Lavei à mão, com detergente delicado (o das lãs) e sequei à sombra (nem foi preciso, o céu esteve encoberto).
Passei a ferro, dobrei sem vincar, mas não guardei (normalmente, guardo).
Este é o procedimento recorrente, cada vez que compro tecidos. Não consigo trabalhá-los sem os lavar, há que concorde, há quem discorde, comigo tem de ser assim.


Não foi preciso arrumar, porque estão à mão de semear para costurar quatro peças muito parecidas (diferentes nos padrões, iguais na funcionalidade). 
Tenho uma praticamente pronta, parece um trabalho fácil, sem exigência de grande técnica, no entanto nem tudo é como parece e estas "danadas" estão a dar muito que fazer...
Desejem-me sorte! :)